• FórumDCNTs

Cobertura do evento Doenças Cardiovasculares: Soluções para Reduzir Custos e Preservar Vidas

Na última sexta-feira (2/7) o FórumDCNTs realizou o webinar interativo "Doenças Cardiovasculares: Soluções para Reduzir Custos e Preservar Vidas". O evento teve por objetivo a) conhecer estratégias e diferenciais dos programas custo-efetivos para prevenção e controle de doenças cardiovasculares (DCV), b) potencializar a Atenção Primária da Saúde para prevenção, diagnóstico, monitoramento e tratamento oportuno das DCV e 3) engajar os setores público, privado e terceiro setor para, através de esforços multissetoriais, implementar prontamente modelos que comprovadamente reduzem custos e preservam vidas (confira a agenda completa aqui).


Participaram do evento líderes da Secretaria Municipal da Saúde de SP, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS), do Ministério da Saúde, da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB), da Rede Brasil AVC e World Stroke Organization (WSO), da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e da empresa Abbott.


Dr. Mark Barone, fundador do FórumDCNTs, iniciou o evento relembrando o que foi discutido anteriormente no webinar Doença Cardiovascular: Soluções para este Desafio Multifatorial e destacando a importância da contribuição dos líderes de programas de voltados às DCV na Atenção Primária para a bem-sucedida implementação nacional do programa HEARTS, da Organização Pan-Americana de Saúde, no Brasil. Enfatizou também desafios identificados no webinar anterior, ressaltando o risco de pessoas que não estão diagnosticadas com dislipidemia/colesterol elevado, diabetes ou hipertensão e, por isso, não recebem tratamento, assim como ausência de alguns medicamentos importantes e equipamentos com potencial para diagnóstico e monitoramento nas UBSs, e necessidade de se aperfeiçoar e sistematizar o acolhimento e a educação em saúde.

Participou da abertura também o Sr. José Cristiano Soster, diretor da SESAB, enfatizando que o setor público é responsável por fazer a curadoria e unir forças com todos os setores, para que a Atenção Primária da Saúde possa obter melhores resultados na prevenção e tratamento das doenças cardiovasculares (DCV). A Sra. Patrícia Carvalho, representante da empresa Abbott, destacou o papel do setor privado contribuindo com tecnologias que otimizam os processos e auxiliam para melhoria dos desfechos. A Dra. Joana Dantas, diretora da SBEM, ressaltou que entre as parcerias, valorizadas e estimuladas pelo FórumDCNTs, as sociedades médicas e científicas têm muito a contribuir. Destacou que além do estabelecimento de metas, as regionais das sociedades podem contribuir muito através de sua capilaridade para auxiliar na implementação de programas como o HEARTS.

Logo após a Dra. Sheila Martins, presidente da Rede Brasil AVC e da WSO, falou sobre as ações nas UBSs de Porto Alegre para melhorar os cuidados com as DCV. Ela citou o estudo clínico randomizado que será feito com pessoas com fatores de risco, incluindo obesidade, diabetes, hipertensão e sedentarismo, em parceria com o Ministério da Saúde e apoio do PROADI-SUS. Nele, será feita estratificação de risco e as pessoas com risco elevado serão alocadas no HEARTS, enquanto aquelas com risco moderado, também receberão acompanhamento, educação em saúde e a polipílula. Ao final do estudo são esperadas melhorias de, pelo menos, 50% dos indicadores nessa população, associadas à melhoria de estilo de vida. O programa começará a ser executado em julho, em Porto Alegre, e a ideia é prevenir mortes por DCV e levá-lo para outras regiões do Brasil a partir de 2022.


Em seguida, a Sra. Karina Mauro Dib, representante da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, falou sobre o programa "Cuidando de Todos / Cuidando do seu Coração" que, por meio de ações para melhoria de prevenção, conscientização, rastreamento, gerenciamento, tratamento e adesão das pessoas com doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) através da Atenção Básica, busca assegurar redução nas taxas de complicações e mortes associadas às DCV.

Dr. Márcio Galvão, professor da UFBA, compartilhou ensinamentos sobre estratégias com maior impacto sobre saúde cardiovascular na Atenção Primária de Vitória da Conquista. O projeto HealthRise que teve por meta empoderar pessoas com diabetes e hipertensão, fortalecer os profissionais de saúde da linha de frente e promover políticas para aumentar a detecção, gerenciamento e gerenciamento de DCV e diabetes, mostrou-se custo-efetivo. Alguns dos achados do programa foram:

  • Point-of-care na Atenção Primária é benéfico do ponto de vista de desfechos, visto que permite ajustes terapêuticos oportunos, e de economia da saúde;

  • O percentual de casos não diagnosticado de hipertensão arterial e diabetes ainda é alto;

  • A informatização e a implantação do Prontuário Eletrônico do Cidadão, do Ministério da Saúde, nas unidades de saúde otimizam muito o trabalho dos trabalhadores da Atenção Primária, permitindo maior resolutividade..

Tanto o Dr. Márcio quanto a Sra. Karina enfatizaram a importância de envolver todos os stakeholders que serão tocados pelos projetos desde seus planejamento e incluí-los de forma com que sejam ouvidos e se sintam coautores e implementadores de todas as fases, para o sucesso na implementação.

Sr. Diogo Alves, colaborador da OPAS/OMS no Brasil, falou sobre como a implementação dos pacotes Hearts, Shake, Replace e Safer permite que o Brasil reduza mortes por DCV. O pacote HEARTS trabalha diretamente com a prevenção das DCV enquanto os pacotes shake, replace e safer trabalham com alimentação saudável, promovendo a redução da gordura trans, do sódio e do consumo de bebidas alcoólicas. Indiretamente, cada um desses programas contribui para a prevenção de fatores de risco, doenças cardiovasculares e outras DCNTs.


Sr. João Pedro Félix, representante da Secretaria de Atenção Primária do Ministério da Saúde, falou sobre os planos do Ministério para Implementação de melhores práticas para DCV na Atenção Primária, demonstrando muito interesse pelas soluções apresentadas pelos demais painelistas. Ressaltou, também, que já existem 24 linhas de cuidado publicadas pela SAPS. Além disso, compartilhou a informação de que a SAPS está construindo 3 manuais voltados a hipertensão e diabetes: manual de boas práticas para profissionais de saúde, manual de boas práticas para gestores e manual de boas praticas para orientar a população.

Para encerrar o evento, os painelistas responderam a perguntas da plateia e se comprometeram em colaborar através de suas organizações para a urgentemente necessária melhoria das ações e resultados de prevenção e cuidados com doenças cardiovasculares. Ficou claro que a colaboração entre os setores e esferas será fundamental para o melhor aproveitamento deste momento, qualificando, equipando e empoderando a Atenção Primária para ser este agente transformador com o uso de estratégias e elementos já testados no Brasil e exterior e, neste momento, passando a implementar o pacote HEARTS. Portanto, todos se mostraram confiantes de que o programa HEARTS será um importante aliado, junto com os outros programas já implementados, para melhorar o quadro das DCV no Brasil.



Parceiros Institucionais

Parceiro Corporativo