• FórumDCNTs

Cobertura do evento Doenças Cardiovasculares: Soluções para Reduzir Custos e Preservar Vidas

Na última sexta-feira (2/7) o FórumDCNTs realizou o webinar interativo "Doenças Cardiovasculares: Soluções para Reduzir Custos e Preservar Vidas". O evento teve por objetivo a) conhecer estratégias e diferenciais dos programas custo-efetivos para prevenção e controle de doenças cardiovasculares (DCV), b) potencializar a Atenção Primária da Saúde para prevenção, diagnóstico, monitoramento e tratamento oportuno das DCV e 3) engajar os setores público, privado e terceiro setor para, através de esforços multissetoriais, implementar prontamente modelos que comprovadamente reduzem custos e preservam vidas (confira a agenda completa aqui).


Participaram do evento líderes da Secretaria Municipal da Saúde de SP, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS), do Ministério da Saúde, da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB), da Rede Brasil AVC e World Stroke Organization (WSO), da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e da empresa Abbott.


Dr. Mark Barone, fundador do FórumDCNTs, iniciou o evento relembrando o que foi discutido anteriormente no webinar Doença Cardiovascular: Soluções para este Desafio Multifatorial e destacando a importância da contribuição dos líderes de programas de voltados às DCV na Atenção Primária para a bem-sucedida implementação nacional do programa HEARTS, da Organização Pan-Americana de Saúde, no Brasil. Enfatizou também desafios identificados no webinar anterior, ressaltando o risco de pessoas que não estão diagnosticadas com dislipidemia/colesterol elevado, diabetes ou hipertensão e, por isso, não recebem tratamento, assim como ausência de alguns medicamentos importantes e equipamentos com potencial para diagnóstico e monitoramento nas UBSs, e necessidade de se aperfeiçoar e sistematizar o acolhimento e a educação em saúde.

Participou da abertura também o Sr. José Cristiano Soster, diretor da SESAB, enfatizando que o setor público é responsável por fazer a curadoria e unir forças com todos os setores, para que a Atenção Primária da Saúde possa obter melhores resultados na prevenção e tratamento das doenças cardiovasculares (DCV). A Sra. Patrícia Carvalho, representante da empresa Abbott, destacou o papel do setor privado contribuindo com tecnologias que otimizam os processos e auxiliam para melhoria dos desfechos. A Dra. Joana Dantas, diretora da SBEM, ressaltou que entre as parcerias, valorizadas e estimuladas pelo FórumDCNTs, as sociedades médicas e científicas têm muito a contribuir. Destacou que além do estabelecimento de metas, as regionais das sociedades podem contribuir muito através de sua capilaridade para auxiliar na implementação de programas como o HEARTS.

Logo após a Dra. Sheila Martins, presidente da Rede Brasil AVC e da WSO, falou sobre as ações nas UBSs de Porto Alegre para melhorar os cuidados com as DCV. Ela citou o estudo clínico randomizado que será feito com pessoas com fatores de risco, incluindo obesidade, diabetes, hipertensão e sedentarismo, em parceria com o Ministério da Saúde e apoio do PROADI-SUS. Nele, será feita estratificação de risco e as pessoas com risco elevado serão alocadas no HEARTS, enquanto aquelas com risco moderado, também receberão acompanhamento, educação em saúde e a polipílula. Ao final do estudo são esperadas melhorias de, pelo menos, 50% dos indicadores nessa população, associadas à melhoria de estilo de vida. O programa começará a ser executado em julho, em Porto Alegre, e a ideia é prevenir mortes por DCV e levá-lo para outras regiões do Brasil a partir de 2022.