Buscar

Alimentação e Atividade Física durante COVID-19 - Ministério da Saúde

Atualizado: Mai 19

Até o momento, existem poucas evidências ou recomendações sobre alimentação e COVID-19, no entanto, sabe-se que o adequado estado nutricional, consumo alimentar, hidratação contribuem para a manutenção e recuperação da saúde dos indivíduos (acesse as recomendações aqui). Em tempos de COVID-19 também é muito importante manter uma alimentação equilibrada, com maior consumo de alimentos in natura e minimamente processados, de maneira a evitar o consumo de alimentos ultraprocessados, com altas quantidades de energia, sal, açúcar e gordura. Uma dieta com base em alimentos ultraprocessados aumenta o risco de deficiência de nutrientes importantes e pode levar ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade e outras condições crônicas. Uma alimentação saudável ajuda a promover a saúde. Uma dieta baseada em alimentos in natura e minimamente processados, se possível, variada, contribui para a ingestão de vitaminas e minerais, favorecendo o equilíbrio de nutrientes que são essenciais para a saúde.



Orientações sobre a prática de atividade física também foram publicadas, destacando que a prática de atividade física contribui para a proteção e combate às Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNTs), reduz significativamente as chances do desenvolvimento de câncer de mama e de cólon, diabetes, cardiopatia e eventos de acidente vascular cerebral, além de contribuir para a proteção e melhora do sistema imunológico. Evidências apontam que o declínio nas várias funções das células imunes tem mostrado relação com alguns comportamentos do estilo de vida, dentre eles, a falta de atividade física. Manter a rotina da prática regular de atividade física pode contribuir tanto para os benefícios psicológicos e sensação de bem-estar e funções cognitivas, quanto para a manutenção das capacidades físicas. Nesse sentido, manter a prática de atividade física ajudará no retorno às atividades de vida diária após o período crítico de disseminação do novo Coronavírus.



Em idosos, as atenções são redobradas em função dos prejuízos da má nutrição e da falta de atividade física à sua saúde e qualidade de vida. Então, neste período de quarentena, é necessária uma atenção especial à alimentação do idoso. Uma das recomendações é que, nesse período de quarentena/isolamento social, a lista de compras seja feita junto com a pessoa idosa, mas, se possível, outro membro da família, vizinho ou amigo possa realizar as compras quando necessário, mantendo todos os cuidados de higiene no retorno à casa ou no momento de entrega das compras. Assim, a exposição da pessoa idosa à contaminação pelo contato com outras pessoas e aglomerações é evitada. Confira o guia aqui.



Além desses materiais o Ministério da Saúde conta com uma série de vídeos à respeito do Guia Alimentar Para a População Brasileira. Você pode acessar todos os vídeos aqui.


As orientações foram elaboradas pela Secretaria de Atenção Primária do Ministério da Saúde (Saps/MS). Acesse aqui outros materiais produzidos pela Secretaria da Atenção Primária à Saúde e saiba mais!

0 visualização

Assine nossa newsletter e fique por dentro!

  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube