• FórumDCNTs

ADA Publica Documento sobre Determinantes Sociais da Saúde e Diabetes Tipo 2

Décadas de pesquisa demonstraram que o diabetes afeta minorias raciais e étnicas e populações de adultos de baixa renda nos EUA de forma desproporcional, com padrões intratáveis ​​vistos no maior risco de diabetes dessas populações e nas taxas de complicações do diabetes e mortalidade.


A Associação Americana de Diabetes (ADA) reuniu, em uma publicação, recomendações para alcançar a equidade na saúde para a população, baseado nos determinantes sociais da saúde. Além da desigualdade já vivida, a pandemia da COVID-19 destacou desigualdades e vulnerabilidades suportadas por grupos raciais e étnicos minoritários e por grupos desfavorecidos em diversas comunidades.


Na sequência de eventos simultâneos de pandemia e de injustiça racial no EUA, a American College of Physicians, American Academy of Pediatrics, Society of Medicina Interna Geral, Academia Nacional de Medicina e outros profissionais de outras organizações, publicaram declarações sobre determinantes sociais da saúde, e essas publicações focam na melhoria desses determinantes nos níveis individual, organizacional e político.


No diabetes, compreender e mitigar o impacto dos determinantes sociais da saúde são prioridades devido a prevalência da condição, custos econômicos e carga populacional desproporcional.


Determinantes da saúde.
Determinantes da saúde.

O artigo começa com uma visão geral das principais definições e frameworks dos determinantes da saúde. A revisão da literatura se concentra principalmente em estudos com adultos americanos, que têm diabetes, e em cinco fatores determinantes da saúde:

  • status socioeconômico (educação, renda, ocupação);

  • vizinhança e ambiente físico (habitação, ambiente construído, exposições ambientais tóxicas);

  • ambiente alimentar (insegurança alimentar, acesso aos alimentos);

  • cuidados de saúde (acesso, acessibilidade, qualidade);

  • contexto social (coesão social, social capital, apoio social).


A revisão conclui que é necessário investir mais em pesquisas relacionadas ao diabetes e que as intervenções devem ser feitas de maneira individual, suprindo a necessidade de cada comunidade.


Acesse à publicação completa aqui.