• FórumDCNTs

NCD Alliance - Financiamento em CCNTs como base para sociedades e economias saudáveis

As CCNTs (condições crônicas não transmissíveis) – as condições mais prevalentes e mortais do mundo – representam uma pandemia por si só, mas quando misturadas com um surto de uma doença infecciosa, o resultado tem sido devastador para os sistemas de saúde e as comunidades que atendem em todos os lugares. A pandemia da COVID-19 revelou que a prevenção, rastreio, diagnóstico e tratamento de CCNTs são indispensáveis ​​à preparação dos sistemas de saúde e à resiliência da população. O mundo não estará preparado para futuras ameaças à saúde nem cumprirá os compromissos globais com a Cobertura Universal de Saúde (UHC) enquanto as pessoas em maior risco continuarem sendo deixadas para trás.


Quem paga pelas CCNTs na atenção primária, em comparação com doenças infecciosas e saúde reprodutiva? Parcela dos gastos com cuidados de saúde primários, por fonte de financiamento e função de saúde 2019 (%)


A NCD Alliance publicou a política que defende o aumento do investimento na prevenção e cuidados de CCNT, como parte da prestação de UHC e não deixando ninguém para trás. O fracasso de longa data dos governos e da comunidade global de saúde em mobilizar financiamento adequado para prevenção e cuidados de CCNTs ampliou o custo humano e econômico da pandemia e continua sendo a principal barreira em todo o mundo para melhorar os resultados de saúde e garantir a resiliência e a sustentabilidade do sistema de saúde. Especialmente em países de baixa e média renda, que são o foco principal da política publicada. O investimento em CCNTs não deve mais ser uma reflexão tardia para doenças infecciosas ou negligenciado nos serviços de saúde. Os governos e a comunidade global de saúde devem fazer mudanças substanciais para alcançar uma abordagem mais direcionada e estratégica ao investimento na resposta às CCNTs que renderá dividendos a longo prazo.

A publicação examina a lacuna de investimento e apresenta uma visão geral do estado atual do financiamento de CCNTs, em relação à carga global de doenças e em comparação com outras prioridades globais de saúde. Eles descrevem as diferentes fontes e caminhos para o financiamento de CCNTs: mobilização de recursos internos, apoio bilateral e multilateral, filantropia e financiamento inovador, incluindo o setor privado.

As CCNTs recebem o menor financiamento em relação à carga global por uma margem enorme, com US $0,64/Dia. Todas as outras condições receberam um investimento muito maior em relação à carga global de cada doença.


Destinado principalmente aos defensores da saúde e do desenvolvimento, a publicação vem para apoiar o envolvimento com tomadores de decisões financeiras e investidores, incluindo Ministérios das Finanças, agências de desenvolvimento, agências multilaterais e filantropias. Defende a ampliação dos investimentos atualmente insuficientes em CCNTs, descreve o custo da inação, destaca caminhos viáveis ​​para aumentar o financiamento e propõe um apelo à ação para o Segundo Diálogo de Financiamento Global sobre CCNTs previsto para ocorrer em 2023 e nas próximas Nações Unidas Reuniões de alto nível da Assembleia Geral sobre UHC e em 2023 e CCNTs em 2025.

O material está complementado por uma publicação adicional de estudos de caso de melhores práticas, destinados a tomadores de decisão e doadores de saúde e finanças, ilustrando as soluções e a viabilidade de fechar a lacuna de investimento em CCNTs.

Acesse o recurso na íntegra aqui.