• FórumDCNTs

Relatório GT Prevenção de DCNTs - 7° encontro do FórumDCNTs 2020

Problema(s) prioritário(s) identificado(s):

Precisa-se transpor uma barreira caracterizada por "baixo engajamento" que evita que a "teoria seja traduzida na pratica", ou seja, "o grande passo entre as diretrizes e a tradução para uma pratica engajadora e transformadora".


Resumo das propostas e/ou parcerias para enfrentar o(s) problema(s) identificado(s). Como os participantes desta reunião planejam atuar, especialmente nos próximos 6 meses ou 1 ano, para enfrentar o(s) problema(s) identificado(s)?


Focamos em 4 pilares; tendo as "diretrizes" ao centro:

  1. ação com a comunidade;

  2. ações na atenção primária;

  3. ação na atenção especializada;

  4. politicas públicas.


Detalhamento por pilar:

  1. prevenção na comunidade- identificamos que os públicos mais importantes seriam as crianças, jovens, adultos jovens, com algum destaque à raça negra por ser mais suscetível às complicações e gravidade. Aqui apontamos o "Programa Saúde na Escola" como uma grande oportunidade de trabalho uma vez que ele já tem a capilaridade necessária, mas ainda não identifica uma avaliação de impacto que traga a efetividade do programa à tona, mas sim, dados quantitativos de operacionalização. (1-a) incluir aspectos engajadores de prevenção de DCV no currículo escolar; (1-b) que na formulação das "diretrizes" houve uma preocupação em incluir uma tradução para a adoção destas recomendações junto à comunidade (vida real), para que as diretrizes não sejam restrita aos "experts"; (1-c) rever aspectos de abordagens dos jovens na linguagem deles, quer seja ilustração de personagens às cçs (tipo Saulito, etc..) até o uso de tecnologia digital engajadora; (1-d) foi trazido o App "Conect SUS" como uma forma de termos os dados do cidadão disponibilizado num único banco de dados.

  2. na atenção primária, uma oportunidade de maior empoderamento dos ACS e assim levá-los a medir pressão arterial, identificar pontos a serem endereçados na alimentação da família, bem como prevenir o sedentarismo. Para este empoderamento, urge uma capacitação dos mesmos para esta atuação de forma efetiva.

  3. atenção especializada estar preparada com profissionais capacitados e equipamentos disponíveis, e prestando suporte de forma integrada aos demais níveis de atenção.

  4. como aspectos de ação em políticas públicas, reforçar ações que levem à diminuição de sal em alimentos "convencionais" e de largo uso, como o "pãozinho"; também trabalhar de forma integrada "Saúde-Educação-Economia" com vistas a gerar dados impactantes sobre as ações preventivas e seus impactos em indicadores econômico-sociais, para assim gerar engajamento de esferas mais elevadas de investidores e do poder público.


Nome das instituições e seus representantes, participantes desta reunião do Grupo Temático:

Alanna Gomes Silva - UFMG

Frida Liane Plavnik - SBH

Hanna Taverna - Ministério da Saúde

Iara Simis - Plan International Brasil

Iseli Reis - Fleximedical

Juliana Silva Rezende - Ministério da Saúde

Luiz Bortolotto - InCor

Yara C Baxter - Novartis Foundation