Buscar

Guia de Atividade Física e Comportamento Sedentário da Organização Mundial da Saúde (OMS)

Atualizado: 3 de Dez de 2020

Até 5 milhões de mortes por ano poderiam ser evitadas se a população em todo o mundo fosse mais ativa. Em um momento em que muitas pessoas encontram-se em casa devido à COVID-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou novas diretrizes sobre atividade física e comportamento sedentário, que enfatizam que todas as pessoas, de todas as idades e habilidades, podem ser fisicamente ativas e que todo tipo de movimento conta.


As novas diretrizes recomendam pelo menos 150 a 300 minutos de atividade aeróbica moderada a vigorosa por semana para todos os adultos, incluindo quem vive com doenças crônicas ou incapacidade, e uma média de 60 minutos por dia para crianças e adolescentes.


Estatísticas da OMS mostram que um em cada quatro adultos e quatro em cada cinco adolescentes não praticam atividade física suficiente. Globalmente, estima-se que isso custe US$ 54 bilhões em assistência médica direta e outros US$ 14 bilhões em perda de produtividade.


A atividade física regular é fundamental para prevenir e controlar doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e câncer, bem como para reduzir os sintomas de depressão e ansiedade, reduzir o declínio cognitivo, melhorar a memória e exercitar a saúde do cérebro.



As diretrizes incentivam mulheres a manter atividades físicas regulares durante a gravidez e após o parto. Também destacam os valiosos benefícios à saúde da atividade física para pessoas que vivem com incapacidades.


Pessoas idosas (com 65 anos ou mais) são aconselhadas a adicionar atividades que foquem no equilíbrio e coordenação, bem como no fortalecimento muscular para ajudar a prevenir quedas e melhorar a saúde.


O The Lancet fez uma publicação, "Diretrizes de atividade física para 2020: recomendações abrangentes e inclusivas para ativar as populações", comparando o guia de 2010 com o guia lançado agora.


As diretrizes da OMS para 2020 são construídas em uma base de evidências muito maior do que as diretrizes de 2010, e incluem alguns desenvolvimentos importantes.


Em primeiro lugar, são relatadas evidências de benefícios adicionais à saúde, como melhoria da saúde cognitiva, qualidade de vida relacionada à saúde, saúde mental e sono, além do que foi incluído nas diretrizes da OMS de 2010, ou seja, câncer, cardiorrespiratório, metabólico, saúde musculoesquelética e funcional. Esse desenvolvimento reflete o amadurecimento da pesquisa sobre atividade física e a crescente incorporação da definição da OMS de saúde como um estado de completo bem-estar físico, mental e social.


A evolução das diretrizes de atividade física.

Em segundo lugar, as diretrizes de 2020 da OMS, pela primeira vez, em nível global, fornecem recomendações específicas para mulheres grávidas e puérperas e para pessoas que vivem com doenças crônicas ou deficiências, mostrando a crescente especificidade e relevância das diretrizes de atividade física para diferentes populações.


Terceiro, essas diretrizes modificaram as recomendações sobre como a atividade física aeróbica deve ser acumulada - por exemplo, o requisito anterior de duração mínima de 10 minutos de atividade contínua foi retirado e "alguma atividade física é melhor do que nenhuma".


Finalmente, as diretrizes da OMS de 2020 fornecem recomendações gerais para reduzir o tempo sentado, o que está de acordo com o crescente interesse nos efeitos do comportamento sedentário para a saúde.


Acesse o guia completo aqui.

25 visualizações0 comentário

Assine nossa newsletter e fique por dentro!

  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube