top of page
  • FórumDCNTs

HCor lança mapa de evidências sobre estratégias de prevenção e tratamento da obesidade infantil

O excesso de peso é um sério problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Em 2016, mais de 38 milhões de crianças com menos de cinco anos e 350 milhões de crianças e adolescentes entre cinco e 18 anos estavam com excesso de peso. Para deter o avanço da obesidade infantil, políticas, programas e ações intersetoriais são essenciais. Nesse sentido, o embasamento científico se faz necessário por ser relevante para a tradução do conhecimento e identificação de intervenções efetivas considerando seu uso na estruturação de políticas públicas. Os mapas de evidências são ferramentas oportunas e responsivas que subsidiam a tomada de decisão.

Em 2021 a equipe do projeto da Alimentação Cardioprotetora do Hospital do Coração (HCor), em parceria com a Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde (CGAN/MS), no âmbito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS), elaborou um mapa que visa identificar na literatura científica as evidências e as lacunas existentes sobre as estratégias e intervenções efetivas para a prevenção e o tratamento do excesso de peso do público infantil.


O que é o mapa de evidências?

O mapa de evidências é uma metodologia de mapeamento da literatura que identifica, de forma visual, o volume de produção científica de revisões sistemáticas e protocolos de revisões sobre estratégias para responder a um problema de saúde, cruzando com os desfechos utilizados para avaliar tais intervenções. A evidência é mapeada e apresentada em estrutura gráfica em linhas e colunas, nas quais é possível identificar o número de evidências de uma determinada intervenção para um determinado desfecho, e indicando onde há concentração ou lacunas de evidências.


Como o mapa de evidências pode ser utilizado?


O mapa mostra, visualmente, onde há concentração e lacunas de evidências publicadas em revisões sistemáticas, bem como os resultados das intervenções e desfechos identificados. Também é possível aplicar filtros para refinamento das evidências, de acordo com o interesse do leitor, sendo eles: público-alvo, ambiente de realização da intervenção, foco da intervenção (prevenção ou tratamento), efeito da intervenção, país foco da publicação, tipo da revisão, design da revisão, tipos de estudos incluídos, presença de inequidades em saúde, condições de saúde dos indivíduos incluídos nos estudos e qualidade metodológica da revisão (AMSTAR2).


Dessa forma, o mapa indica em quais áreas de conhecimento devem ser investidas novas pesquisas (a partir das lacunas) e quais práticas podem subsidiar a criação de programas e políticas de saúde (a partir da concentração de publicações combinadas com os efeitos da intervenção).


Acesse o Mapa Interativo aqui.


Resumo completo aqui.


Fonte: HCor



bottom of page