top of page
  • FórumDCNTs

Como o marketing de alimentos tem alcançado crianças e adolescentes

Pesquisas mostram que crianças e adolescentes são mais vulneráveis ​​à influência do marketing do que os adultos e gastam cada vez mais tempo on-line. Atentos a esse comportamento, os anunciantes, principalmente empresas de alimentos e bebidas não saudáveis, investem em estratégias ousadas para atingir o público infantojuvenil.

O DigitalAds.org, um site criado pelo Berkeley Media Studies Group da Public Health Institute (PHI) e pelo Center for Digital Democracy, expõe como os anunciantes estão visando os jovens, e compartilha como os países estão tomando medidas para impedir que os comerciantes de alimentos e bebidas influenciem crianças e jovens. De acordo com o DigitalAds, os profissionais de marketing usam seu conhecimento para atrair as crianças, moldando potencialmente seus hábitos alimentares para toda a vida. Ainda, as empresas americanas de "junk food" têm como alvo crianças e adolescentes negros e pardos. Estima-se que eles veem 90% mais anúncios de lanches e bebidas açucaradas na TV do que crianças e adolescentes brancos.


Coletivamente, as táticas digitais dos profissionais de marketing para atingir os jovens compreendem o que alguns defensores estão chamando de genoma do marketing digital. É tão inovador, complexo e invasivo quanto parece. O primeiro passo para abordá-lo é entender como esse “genoma” opera.

  • Vigilância em massa e coleta de dados: um poderoso software analítico extrai dados de mídias sociais e outros aplicativos online, permitindo que os profissionais de marketing analisem padrões de comportamento e criem perfis de usuários jovens.

  • Hiperpersonalização: as empresas identificam, perfilam e segmentam os consumidores em categorias altamente granulares; eles podem excluir ou segmentar indivíduos e grupos e interagir com eles em vários sites e dispositivos.

  • Inteligência artificial e manipulação do subconsciente: essas técnicas permitem que os profissionais de marketing estudem a resposta do cérebro à publicidade na esperança de contornar a tomada de decisão racional entre os consumidores.

  • Marketing móvel e baseado em localização em tempo real: os profissionais de marketing usam mensagens móveis, GPS e uma variedade de aplicativos da Internet para atingir e influenciar os consumidores com base na localização geográfica.

  • Infiltração nas redes sociais: Ao penetrar nas redes sociais, os profissionais de marketing podem pesquisar e rastrear conversas e comportamentos online dos usuários sem que eles percebam.

  • Ambientes e jogos imersivos: o objetivo é confundir a linha entre o mundo digital e o mundo real e tornar difícil para os usuários distinguir entre marketing e outros marketing-de-alimentos-não-saudáveis-atrai-crianças-e-jovensconteúdos.

  • Vídeo online e streaming: “Onde um cliente vê uma Coca-Cola na mesa, o outro vê chá verde”, explicou um executivo de marketing, sobre a colocação de produtos em vídeos.


Fonte: Public Health Institute

bottom of page