top of page
  • FórumDCNTs

Iniciativa inédita, OMS lança plano para a pesquisa sobre demência

O plano visa fornecer orientação aos formuladores de políticas, financiadores e à comunidade de pesquisadores.


A demência é um dos maiores desafios de saúde da nossa geração. “Embora a demência seja a 7ª principal causa de morte em todo o mundo, a pesquisa de demência é responsável por menos de 1,5% da produção total de pesquisa em saúde”, disse o Dr. Soumya Swaminathan, cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS). “Infelizmente, estamos ficando para trás na implementação do plano de ação global sobre a resposta de saúde pública à demência. Abordar a demência de forma abrangente exige que pesquisa e inovação sejam parte integrante da resposta.”


Estratégias são necessárias para melhor compreender, prevenir e tratar as doenças subjacentes que causam demência e, ao mesmo tempo, prestar cuidados e apoio às pessoas com demência e seus cuidadores. Além disso, a pesquisa sobre demência precisa ser conduzida em um ambiente propício, onde as colaborações sejam promovidas e o investimento equitativo e sustentável seja realizado.


Com esses objetivos, a OMS desenvolveu um plano para pesquisa sobre demência, que representa a primeira iniciativa deste tipo da organização para lidar com condições/doenças crônicas não transmissíveis (CCNTs/DCNTs). O plano visa fornecer orientação aos formuladores de políticas, financiadores e à comunidade científica sobre a pesquisa da demência, tornando-a mais eficiente, equitativa e impactante.


Especificamente, o plano para a pesquisa de demência:

  • baseia-se em lições aprendidas com os esforços da OMS para priorizar a pesquisa e coordenar as atividades de pesquisa para doenças infecciosas;

  • considera todo o espectro de pesquisa de demência, incorporando diagnósticos e terapêuticas, bem como avanços científicos e tecnológicos emergentes, como inteligência artificial, multiômica e biomarcadores;

  • abrange epidemiologia, economia da saúde, pesquisa sobre cuidados e cuidadores, redução de riscos e saúde do cérebro ao longo da vida;

  • fornece insights sobre diferentes impulsionadores da pesquisa, como financiamento sustentável, diversidade e equidade, e o envolvimento de pessoas com experiência vivida de demência ao longo do processo de desenvolvimento da pesquisa.

“Podemos alcançar progresso na pesquisa de demência fortalecendo e monitorando os fatores de pesquisa destacados no Blueprint para que se tornem a norma para boas práticas de pesquisa”, disse o Dr. Ren Minghui, Diretor-Geral Adjunto da Divisão de Cobertura Universal de Saúde /Doenças Transmissíveis e Não Transmissíveis da OMS.


A OMS incentiva as agências de pesquisa nacionais e internacionais, juntamente com outros órgãos de financiamento, a usar este plano para informar os próximos fluxos de financiamento e operacionalizar os impulsionadores da pesquisa. A sociedade civil pode garantir que os esforços de advocacia também sejam alinhados, apoiando a busca por um cenário de pesquisa mais equitativo, eficiente e colaborativo. Além disso, os pesquisadores podem apoiar a realização de marcos e objetivos estratégicos deste plano, abordando as lacunas de pesquisa identificadas.


A OMS trabalhará com todas as partes interessadas nos setores relevantes para garantir que as ações descritas no plano sejam implementadas, os marcos sejam alcançados e os objetivos estratégicos sejam alcançados, com o objetivo final de melhorar a qualidade de vida e o apoio oferecido às pessoas que vivem com demência , seus cuidadores e familiares.


Para obter mais informações, visite a página do projeto de pesquisa A blueprint for dementia research e a página sobre demência da OMS (Dementia).



Texto traduzido e adaptado de Launch of WHO’s first blueprint for dementia research.

bottom of page