• FórumDCNTs

Ministério da Saúde apresenta Estratégia de Saúde Cardiovascular na Atenção Primária

Em mais uma ação para fortalecer a qualidade de vida da população, o Ministério da Saúde apresentou a Estratégia de Saúde Cardiovascular (ECV) na reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT) dessa última quinta-feira (30).


O projeto foi elaborado pela Coordenação-Geral de Prevenção às Doenças Crônicas e Controle do Tabagismo da pasta, e traz um conjunto de ações voltadas para a Atenção Primária à Saúde (APS).


“Essa proposição de portaria foi amplamente discutida, inclusive com mudanças a pedido do Conass e do Conasems e que o Ministério da Saúde já aceitou”, disse o secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara. Após a apresentação, a ECV foi pactuada pelos participantes.


Em 2019, as doenças cardiovasculares foram responsáveis por 20,7% dos anos de vida perdidos por morte prematura no Brasil, segundo o Global of Burden Disease. O DataSUS ainda levantou que, no ano passado, o custo total em internações decorrentes de doenças do aparelho circulatório foi de R$ 2,79 bilhões.


Para enfrentar o cenário, a ECV consiste em uma estratégia multicomponente de enfrentamento e controle dessas doenças, e contará com R$ 6,5 milhões em incentivo financeiro federal para estimular a implementação da iniciativa pelos municípios.

Sobre a ECV


A Estratégia de Saúde Cardiovascular na APS tem como objetivo qualificar o cuidado integral a pessoas com doenças cardiovasculares, contribuindo para o controle dos níveis de pressão e glicemia, o aumento da adesão ao tratamento e a redução de complicações, internações e morbimortalidade. Ela se baseia em cinco eixos de ações estruturantes:

  • Desenvolvimento de ações de promoção da saúde e de prevenção de agravos;

  • Fortalecimento de ações de educação e capacitação para profissionais e gestores, incluindo estratégias de autocuidado e aumento da adesão ao tratamento;

  • Qualificação do cuidado às pessoas com doenças cardiovasculares, incluindo ações de rastreamento, estratificação de risco, diagnóstico precoce e aperfeiçoamento dos processos de cuidado;

  • Fortalecimento dos processos de gestão, estrutura física, organização de processos de trabalho e disponibilidade de equipamentos na APS para o cuidado das pessoas com doenças cardiovasculares;

  • Incentivo à produção de pesquisa em doenças cardiovasculares para inovação e atualização da assistência e da gestão nas temáticas relacionadas ao cuidado das pessoas com essas doenças;

A Atenção Primária tem papel essencial na identificação precoce das doenças crônicas não transmissíveis, no tratamento e no controle dos casos leves e moderados de hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus (que representam grande parcela dos casos de doenças crônicas), entre outras. Considerando que quase todos os fatores de risco para essas doenças são evitáveis, a APS também atua nas ações de promoção da saúde e de prevenção desses agravos, com ênfase na avaliação do risco cardiovascular.


Fonte: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/2021-1/setembro/ministerio-da-saude-apresenta-estrategia-de-saude-cardiovascular-na-atencao-primaria