• FórumDCNTs

OMS alerta que o mundo não está progredindo em DCNTs

A cobertura universal de saúde (CUS) é uma meta prioritária para muitos países e uma das metas de três bilhões de pessoas da OMS para melhorar a saúde de bilhões de pessoas até 2023. A CUS significa que todos recebem serviços de saúde de qualidade, quando e onde precisam, sem incorrer em dificuldades financeiras. Antes do ataque do COVID-19, o mundo estava muito aquém de atingir a meta 3.8 dos ODS. A OMS publicou recentemente seu relatório de monitoramento global sobre rastreamento de cobertura universal de saúde para 2021. O relatório usa 14 indicadores de cobertura de serviços de saúde reprodutiva, materna, neonatal e infantil (RMNCH); doenças infecciosas; DCNTs; e capacidade de serviço e acesso. Esses indicadores são indicativos da cobertura do serviço, em vez de uma lista completa ou exaustiva dos serviços ou intervenções necessárias para alcançar a cobertura universal de saúde.

O relatório mostra que:

  • Embora a cobertura do serviço tenha melhorado nos últimos 20 anos, a proporção de pessoas que enfrentam dificuldades financeiras devido a gastos diretos com saúde aumentou;

  • A pandemia de COVID-19 provavelmente interromperá o progresso feito em direção à cobertura universal de saúde, principalmente entre as populações desfavorecidas;

  • Mesmo antes da pandemia, o mundo ainda estava com 730 milhões de pessoas aquém da meta da OMS de mais de um bilhão de pessoas se beneficiando da cobertura universal de saúde até 2023 - agora estima-se que esse déficit esteja entre 800 e 840 milhões;

  • O progresso nas DCNTs está acontecendo mais lentamente do que nas doenças infecciosas ou RMNCH;

  • Os dados primários estavam disponíveis apenas para 42% dos indicadores de DCNT em nível global - pior do que qualquer outro indicador - com a coleta de dados mais pobre em países de renda mais baixa.

Veja o relatório completo.

Fonte: https://www.who.int/publications/i/item/9789240040618