top of page
  • Foto do escritorFórumDCNTs

SPINE20 2023 traz recomendações urgentes para dores na coluna no Brasil e no mundo

Entre os dias 10 e 11 de agosto ocorreu a 4ª Reunião de Cúpula SPINE20, realizado em Nova Délhi, na Índia, que teve como tema em 2023 “Uma Terra, Uma Família, Um Futuro SEM DEFICIÊNCIA DE COLUNA”. O evento contou com a participação de representantes brasileiros da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC), que contribuíram nas recomendações propostas no evento para o G20, grupo que é o principal fórum de cooperação econômico internacional.

O G20 desempenha um papel importante na formação e fortalecimento da arquitetura e governança globais em todas as principais questões econômico internacionais e atualmente é composto por 19 países (Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Indonésia, Itália, Japão, República da Coreia, México, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul, Türkiye, Reino Unido e Estados Unidos) e a União Europeia. Juntos, os membros do G20 representam cerca de 85% do PIB global, mais de 75% do comércio global e cerca de dois terços da população mundial.


Conheça as recomendações propostas ao G20, a partir do SPINE20 2023:

  • SPINE20 pede às nações do G20 que eliminem as barreiras estruturais ao acesso à reabilitação oportuna para dores na coluna.

  • SPINE20 apela ao G20 para aumentar a conscientização sobre como nossas decisões cotidianas de estilo de vida em relação ao bem-estar, atividade física, tabagismo e nutrição afetam os recursos mundiais e nossa saúde da coluna.

  • SPINE20 convoca os países do G20 a implementar práticas baseadas em evidências com boa relação custo-benefício para a transformação digital no tratamento da coluna, a fim de oferecer autogestão e prevenção, avaliar a prática e medir os resultados.

  • SPINE20 apela aos países do G20 para apoiar o desenvolvimento, implementação e avaliação de processos de padronização para sistemas de prestação de cuidados da coluna, abrangendo dimensões genômicas, psicológicas, sociais e culturais das necessidades de saúde da população.

  • SPINE20 apela aos países do G20 para aumentar a conscientização sobre falhas de segurança na atenção primária, incluindo fatores de risco de incapacidade e cronicidade da coluna.

  • SPINE20 apela aos países do G20 para garantir cuidados de qualidade acessíveis para pessoas com distúrbios, deformidades e lesões relacionados à coluna ao longo da vida.

  • SPINE20 apela aos países do G20 para estabelecer programas nacionais de cuidados com a coluna vertebral e priorizar, implementar e avaliar as recomendações recentemente compiladas do SPINE20 em todos os sistemas de saúde para melhorar o tratamento equitativo da coluna e os resultados de saúde.

Essas recomendações visam a implementação de 6 ações, respectivamente:

  • Deficiência da coluna e pobreza - Investimentos em sistemas de saúde

  • Coluna e vida saudável - Impacto

  • Cuidados digitais com a coluna - Transformação

  • Economia - Padronização

  • Segurança da pessoa - Cultura de segurança

  • Determinantes sociais - Justiça social

Os representantes do Brasil neste importante material são Ana Lígia Gil Espuny, docente e consultora da Bah! Negócios Sustentáveis Humanizados e assessora e consultora de relações institucionais na Sociedade Brasileira de Coluna, Carlos Tucci, Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Coluna e Cristiano Menezes, ortopedista e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Coluna. Ambos participaram do desenvolvimento das recomendações propostas e votadas.


Cada domínio elegeu três escritores que foram designados pela força-tarefa científica SPINE20 para redigir as recomendações e selecionar um subdomínio. Para o Brasil, as recomendações foram elaboradas em dois temas, com a parceria de quatro países. Vale citar que as dores na coluna não são amplamente reconhecidas e há poucos dados para quantificar e qualificar os estudos. De acordo com a SBC, 8 em cada 10 pessoas sentirá dor nas costas em algum estágio de sua vida, alguns com consequências catastróficas, isso explicaria por que as doenças da coluna são consideradas a principal causa de incapacidade globalmente. Ainda assim não há políticas de saúde específicas para lidar com a condição, sem o total conhecimento do impacto econômico. Confira:

  • Economia do cuidado da coluna: Alemanha, Arábia Saudita e Brasil.

A. SPINE20 apela aos países do G20 para apoiar o desenvolvimento, implementação e avaliação de processos de padronização para sistemas de prestação de cuidados da coluna, abrangendo dimensões genômicas, psicológicas, sociais e culturais das necessidades de saúde da população.


B. SPINE20 apela aos países do G20 para promover o desenvolvimento, implementação e avaliação de processos de padronização em todas as camadas do sistema de prestação de cuidados da coluna, ao mesmo tempo em que permite a customização sistemática e a personalização dos cuidados para reduzir as lacunas de conhecimento e abordar a variação inerente na genômica, dimensões psicológicas, sociais e culturais das necessidades de saúde da população.


Voto 1: A 71.4%, B 28.6% / Voto 2: A 80.6%, B 19.4%

  • Segurança da pessoa com a condição: Alemanha, Brasil e Índia.

A. SPINE20 apela ao G20 para aumentar a conscientização sobre falhas de segurança na atenção primária, incluindo bandeiras vermelhas não reconhecidas e risco de cronificação.


B. SPINE20 apela ao G20 para promover a educação como um meio de gerir as falhas de segurança nos cuidados primários.


Voto: A 75.0%, B 25.0%


O que é a SPINE?


A SPINE 20 é uma coalizão internacional criada para chamar a atenção global para a carga de incapacidade causada por distúrbios da coluna vertebral. Nossos esforços de defesa se concentram no desenvolvimento de recomendações de políticas públicas para melhorar a saúde, o bem-estar e o bem-estar de todos os que sofrem de dor e incapacidade na coluna. Propomos que o foco na facilitação do acesso a sistemas de saúde que priorizem cuidados de alto valor prestados por uma força de trabalho de saúde competente contribuirá para reduzir a incapacidade e melhorar a produtividade das nações do G20. Além disso, é nossa proposta que o alinhamento das recomendações do SPINE20 será uma contribuição valiosa para o avanço dos ODS.


Fonte: SPINE20

Comentários


bottom of page