• FórumDCNTs

Brasil é o primeiro país do mundo a acompanhar o desenvolvimento sustentável de suas cidades

O Instituto Cidades Sustentáveis ​​e a Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (SDSN) divulgaram uma ferramenta on-line muito útil e interativa para ajudar a acompanhar o engajamento de todas as 5.570 cidades brasileiras nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Trata-se do Índice de Desenvolvimento de Cidades Sustentáveis ​​– Brasil (IDSC-BR), que reúne dados de mais de 100 indicadores e mede o progresso no desenvolvimento sustentável das cidades brasileiras com base no nível de cumprimento da Agenda 2030 em cada indicador.


De acordo com o comunicado de imprensa SDSN, o Brasil é “o primeiro país do mundo a monitorar e avaliar o nível de progresso da sustentabilidade de todas as suas cidades para alcançar os ODS”. O IDSC-BR revela uma lacuna entre os municípios e regiões do Brasil nas dimensões social, econômica e ambiental da Agenda 2030, evidenciando disparidades entre os municípios das regiões Sudeste e Norte. O comunicado da SDSN observa que dez cidades com melhor desempenho estão localizadas no estado de São Paulo, enquanto 43 das 100 cidades com a pior classificação estão concentradas no estado do Pará.

Um desses índices (3.4) identifica se a cidade está caminhando na direção de reduzir em um terço o número de mortes precoces por doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) até 2030 por meio da prevenção e do tratamento adequado, promovendo a saúde mental e o bem-estar da população. As cidades estão classificadas pela pontuação geral, que mede o progresso total para o cumprimento de todos os 17 ODS. A pontuação varia de zero a 100, sendo que 100 é o limite máximo e indica um desempenho ótimo no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Pelo mapa interativo, é possível acompanhar a sua cidade em cada um dos indicadores. Os painéis fornecem uma representação visual do desempenho das cidades no ODS, informando se o ODS foi atingido, se há desafios significativos ou grandes.


Clique aqui para acessar a ferramenta.


Fonte: SDG Knowledge Hub